Ouça agora

Rádio AM 1170 Rádio FM 102.5

Ouça pelo celular



Rádio Uirapuru - Cidade

Publicada em: 13/04/2018 , por Jornalismo Rádio Uirapuru

A A A

Em Passo Fundo, estrangeiros pagam por casamento para garantir nacionalidade brasileira

Rádio Uirapuru
Créditos: Divulgação
Em Passo Fundo, estrangeiros pagam por casamento para garantir nacionalidade brasileira

Você já ouviu falar em “Amor Efêmero”? Esta é uma prática que ocorre em países da Europa, onde estrangeiros acabam pagando pelo casamento para garantir a naturalização. Nos últimos dias, a Rádio Uirapuru vem recebendo denúncias de casos ocorridos aqui em Passo Fundo. A reportagem conversou com pelo menos duas mulheres, as quais não vamos identificar, mas que foram pagas para se casarem e após 2 ou 3 meses o casamento é dissolvido.

 

Uma delas contou que há cerca de quatro meses acabou casando com um senegalês pelo valor de R$ 600 reais. Ela disse ainda que não chegou em nenhum momento a ter um relacionamento com o homem, apenas casou, recebeu o valor e “seguiu sua vida”. No segundo caso, a mulher disse que recebeu o valor de R$ 800 reais pelo casamento.

 

De acordo com dados do cartório de registro civil de Passo Fundo, desde janeiro 2017 até abril de 2018, foram registrados 18 casamentos envolvendo estrangeiros de diversos países aqui no município de Passo Fundo.

 

Sobre a prática de “compra de casamento”, o advogado Luiz Alfredo Gala afirmou ser ilegal. “Quando temos conhecimento de alguma coisa nesse sentido, automaticamente procura-se a pessoa e explica que o ato é ilegal. Se a intenção é essa, se faz o cancelamento, para evitar que essa pessoa sofra penalização, que inclusive pode ter até mesmo sua deportação”, explica Luiz.

 

A legislação brasileira conta com diversas formas de pedidos de naturalização. O decreto assinado em novembro de 2017 define os critérios e condições de formalizar o pedido de naturalização. De acordo com advogado, Luiz Alfredo Gala, entre as pré condições estão: residir no Brasil há mais de quatro anos, em casos de solteiros, e a outra prevê que estrangeiros casem ou tenham filhos com brasileiros, no caso, de casamento há mais de um ano.

 

O advogado explicou que o processo que deve ocorrer junto a Polícia Federal. Ele inicia com uma avaliação escrita e falada da língua portuguesa. “Atualmente aumentou o número de indeferimentos e a maioria ocorre por não haver domínio da língua portuguesa”. Sobre a avaliação, Gala criticou a Polícia Federal e disse que o nível variava de acordo com cada agente. “Muitas vezes o nível de exigência, que é um avaliativo muito pessoal do agente, muitas vezes dificulta e aniquila a intenção desse estrangeiro a vir a ter a nacionalidade brasileira”.

 

O que diz a Polícia Federal?

 

O delegado Mário Vieira, da Polícia Federal de Passo Fundo, foi procurado e afirmou que até o momento mais de 10 casos já chegaram ao conhecimento deles e as investigações estão acontecendo. “Os casos já estão para investigação e instauração de inquérito e obviamente isso é uma fraude, uma falsidade. Uma falsificação que é feita para que eles fiquem no Brasil de forma indevida”.

 

O delegado revelou ainda que já foi constatado que existe uma organização criminosa em Passo Fundo e na região que está sendo responsável por essa fraude. “Todos vão ser indiciados, nos estamos até percebendo que existe uma organização criminosa em Passo Fundo, destinada a fazer esse tipo de fraude. A fraude será apurada com rigor e vamos tomar as medidas cabíveis, com possível prisão dos envolvidos”.

 

Vieira alertou ainda para que as mulheres não aceitem participar deste tipo de ato. “Vai responder tanto o estrangeiro, quanto a mulher que aceitou esse tipo de fraude e quem está organizando isso. Nós estamos apurando quem está organizando esse tipo de ato, para responsabilizar também”.

Comentários

A Rádio Uirapuru não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Você coloca lixo no lugar certo?

Copyright © 2018 Grupo Uirapuru . Todos os direitos reservados. Parceria Sistemas