Ouça agora

Rádio AM 1170 Rádio FM 102.5

Ouça pelo celular



Rádio Uirapuru - Geral

Publicada em: 16/04/2018 , por Jornalismo Uirapuru

A A A

Sem Segredo: maioria dos ouvintes é contra dar esmola e sugere encaminhar casos para órgãos responsáveis

Rádio Uirapuru
Créditos: Gabriel Nunes/Rádio Uirapuru
Sem Segredo: maioria dos ouvintes é contra dar esmola e sugere encaminhar casos para órgãos responsáveis

Crianças pedindo esmolas nas ruas ou vendendo doces e objetos nas sinaleiras ainda é uma cena comum em todo o país. E em Passo Fundo não é diferente. É possível encontrar menores pedindo dinheiro ou alimento também nas paradas de ônibus. Mas o ato de dar esmola divide opiniões. 

 

Por isso, o Sem Segredo de sábado (14) questionou os ouvintes sobre o que fazem quando se deparam com crianças pedindo ou vendendo coisas nas sinaleiras, se dão esmola, compram o produto, ignoram a situação ou avisam as autoridades. Participaram do programa o secretário de Cidadania e Assistência Social, Wilson Lill, a secretária adjunta Elenir Chapuis e o vereador Luiz Miguel Scheis (PDT). 

 

A maioria dos ouvintes informou que evita dar esmola, mas doa alimentos e roupas. Muitos acreditam que grande parte do dinheiro vai para os pais das crianças e adolescentes, ou ainda é usado para comprar drogas e bebidas alcoólicas. Outros relataram que veem na esmola um ato de caridade, doam por pena, mas sabem que é preciso tratar a origem do problema, levando os menores para entidades de apoio.

 

O secretário da Semcas, Wilson Lill, disse que o Conselho Tutelar é o primeiro órgão público que precisa ser acionado nestes casos. A Brigada Militar não entra neste primeiro momento. Segundo o secretário, esmolas não devem ser doadas nem por comoção, pois isso faz com que crianças e adolescentes sejam "condenados" a sempre voltar a receber "migalhas". Ele ressaltou que é preciso buscar uma saída da condição em que as pessoas que pedem esmolas se encontram e não incentivá-las.

 

A secretária adjunta da SemcasElenir Chapuis, ressaltou que em 2013 foi criada uma comissão municipal de erradicação de trabalho infantil, que envolve essa questão de crianças em sinaleiras. Contou que é um trabalho integrado no sentido de identificar, direcionar os casos e encaminhar os menores para a aprendizagem.

 

O vereador Luiz Miguel Scheis afirmou que há uma desproteção total do Estado com as crianças que pedem esmolas. Destacou que, na maioria das vezes, as crianças estão sendo estimuladas por adultos, que as observam de longe e as usam para causar comoção. Luiz Miguel, que trabalhou como policial por 34 anos, relembrou que presenciava ciclos, onde pais usavam filhos para pedir esmola e pouco tempo depois, menores que estavam nas ruas acabavam entrando para o mundo do crime. Para amenizar o problema, o vereador ressalta que é preciso evitar dar dinheiro ou comprar produtos, pois isso incentiva a pessoa a voltar para a sinaleira ou rua no dia seguinte.

 

Informações sobre o Serviço de Abordagem Social da Semcas pelos telefones 3312-3070 e 9 9193-9597. O Conselho Tutelar atende pelo 3312-1588.

Comentários

A Rádio Uirapuru não se responsabiliza pelo uso indevido dos comentários para quaisquer que sejam os fins, feito por qualquer usuário, sendo de inteira responsabilidade desse as eventuais lesões a direito próprio ou de terceiros, causadas ou não por este uso inadequado.

Ouça ao vivo

Comando da Madrugada

com Caroline Secchi

Sexta-Feira

das 00:00 às 06:00

ouça ao vivo

Você acha que Passo Fundo é uma cidade segura?

Copyright © 2018 Grupo Uirapuru . Todos os direitos reservados. Parceria Sistemas